top of page
  • Foto do escritorGabriel Menezes

Possessão ou Incorporação? Entenda tudo sobre a Capacidade de Fundir-se a outro Espírito!

Quando pensamos em incorporação, existem tantas crenças, medos e preconceitos que isso torna o assunto um grande tabu.


Confesso que comigo não foi diferente, tendo nascido e sendo criado em um lar cristão eu também tinha um monte de preconceitos a respeito disso, e morria de medo só em ouvir falar.


No artigo de hoje da série Educando a Sua Mediunidade vamos falar da mediunidade de incorporação, um assunto vasto e complexo que ousarei resumir neste texto.



Eu sei que pra você este tema pode estar carregado de histórias sobre demônios e seres infernais.


Mas eu te garanto que se você se permitir ler este artigo até o final, a sua visão sobre este tema irá mudar completamente e você logo verá que não é nada daquilo que te disseram.


A minha missão com estes artigos é desmistificar e romper todos os preconceitos sobre a mediunidade, mostrando para você que no final somos todos médiuns, em graus diferentes de desenvolvimento, é claro!


E volto a enfatizar...


Afinal, o que a meditação tem a ver com a mediunidade?


Na medida que vamos meditando, expandimos a nossa consciência, e uma consciência expandida aumenta significativamente a nossa sensibilidade quanto aos sentidos que temos além dos nossos 5 sentidos físicos.


É daí que vêm os termos como o sexto sentido, sentidos extrafísicos ou habilidades psíquicas, aos quais também podemos chamar de mediunidade e que podem ser grandemente potencializadas através da prática diária e consistente da meditação.


Independente do nome adotado, tudo se resume à nossa capacidade de intermediar e captar informações do mundo invisível para o mundo visível.


Fique comigo até o final deste artigo para aumentar ainda mais a sua compreensão sobre tudo isso!


Medos Coletivos sobre a Incorporação...


Crescemos assistindo filmes de terror como “O Exorcista” e “O Exorcismo de Emily Rose”, muitos de nós foram criados em religiões presenciando 'Sessões de Descarrego' e vendo a incorporação como demônios se apossando do corpo de uma pessoa, ao que erroneamente chamamos de possessão.


Tudo isso foi contribuindo para a criação de uma aura de medo e preconceito acerca do assunto e hoje temos a incorporação num lugar muito negativo dentro do consciente coletivo.


De verdade eu não estou aqui para diminuir ou confundir as suas crenças religiosas, mas venho aqui te desafiar a olhar para o todo, para obter uma compreensão além dos seus pré-conceitos.


Então vamos começar pela compreensão do que é a mediunidade de incorporação.


O que é e como Funciona a Mediunidade de Incorporação?


Ao contrário do que o nome "possessão" possa nos levar a crer, nenhum espírito tem o poder de expulsar a nossa alma e se apossar do nosso corpo.


A incorporação nada mais é que a capacidade de um médium em fundir a sua energia com o espírito de um desencarnado que se aproxima dele, permitindo assim que o médium se torne um com a essência desse espírito, profundamente conectado a ele.


Perceba aqui que a alma do médium não sai do corpo para dar espaço a outra alma, pelo contrário, a alma do médium precisa permanecer para se fundir e se misturar com a essência do desencarnado.


Outro ponto importante a ser mencionado, é que quando o médium consegue se render completamente ao processo, ele consegue gerar uma conexão empática maior, colocando-se no lugar do desencarnado e se tornando momentâneamente o espírito, enquanto mantém total consciência do que está acontecendo.


A Era da Ignorância e do Preconceito...


No passado, devido a falta de conhecimento, era muito comum a incorporação inconsciente, ou seja, quando o médium fica completamente inconsciente enquanto o espírito atua através de seu corpo.


A ignorância sobre o assunto produziu frequentemente cenas impressionantes de pessoas debatendo-se e caindo no chão.


Isso ocorria pois era muito comum pessoas com suas capacidades mediúnicas muito afloradas, mas sem qualquer tipo de informação ou preparação suficiente, tendo assim a sua mediunidade manifestando-se espontaneamente de maneira completamente descontrolada.


Pois como uma represa contendo, resistindo e segurando quantidades imensas de água, uma vez que se rompe, vem com força total e avassaladora. É isso que frequentemente acontece às pessoas com a mediunidade muito forte, sem estudo e informação, e com muitos medos e preconceitos.


Ao contrário da crença popular, um médium de incorporação com a sua mediunidade bem educada e desenvolvida, não fica inconsciente, ao invés disso é capaz de fundir-se a essência de um espírito, deixando-o atuar através de seu corpo, sem perder o controle de si mesmo ou de seus movimentos.


Caso você seja, ou conheça uma pessoa que já teve episódios de incorporação inconsciente, saiba que é de fundamental importância vencer os preconceitos, começar a se informar mais sobre o assunto, e educar a mediunidade.


A esta altura, tendo alcançado mais compreensão sobre o tema, espero que tenha ficado claro para você o quão preconceituoso e ignorante é utilizar o termo possessão.


Pior ainda é usar o termo “possuído pelo di@bo”... calma, que eu vou explicar o porquê!


A Natureza dos Espíritos Incorporados


Existe uma grande ignorância quanto a natureza dos espíritos que podem incorporar num médium. Devido a tradições religiosas muito antigas, cremos que os espíritos que se manifestam são verdadeiros demônios vindos do inferno.


Mas isso não é uma verdade dentro do conhecimento sobre o mundo espiritual conforme canalizado por médiuns do mundo todo nas diversas literaturas espiritualistas, onde os espíritos têm cada vez mais se aproximado de nós para nos ensinar como o mundo invisível realmente funciona.


Não quero dizer que a maioria destes espíritos que se manifestam não sejam ruins, pelo contrário, na maior parte dos casos os nossos irmãos infelizes atuam como obsessores para prejudicar o médium.


Só que eles não são necessariamente demônios, na verdade eles são pessoas como nós, que infelizmente desencarnaram numa condição de muito sofrimento, muitas vezes por vícios, ou se sentindo injustiçados por alguém que lhes tirou a vida ou lhes prejudicou.


Esses nossos irmãos infelizes apegados à matéria e aos seus sofrimentos, permanecem na erraticidade, esperando por uma oportunidade para prejudicar e se vingar daqueles que os fizeram sofrer.


Eles são espíritos ignorantes, rebeldes e revoltados que não medem a consequência de suas ações para conseguir fazer justiça com as próprias mãos.


Muitos por insistirem no mal por muito tempo acabam assumindo formas animalescas e dantescas, assemelhando-se a verdadeiros demônios. É daí que vem no consciente coletivo as imagens e figuras demoníacas.


Mas isso nada mais é que a forma tomada pela consciência tão devassada e negativada destes irmãos, assumindo em seu perispírito tais aparências para representar o seu nível incipiente de evolução moral.


No entanto, nada e nem ninguém é criado ou nasce como um demônio, todos nascem como espíritos simples e ignorantes.


E todos estes irmãos infelizes foram homens e mulheres, encarnados como nós, que agora estão apenas sofrendo as consequências de seus delitos, até que, pela providência e misericórdia divina infinita, tenham uma chance de reencarnar novamente na escola da vida para evoluir.


Como Educar a Mediunidade de Incorporação?


Incorporação, ou como prefiro chamar, misturar-se ou fundir-se com um espírito, aumenta a nossa capacidade de comunicação com o mundo espiritual, permitindo assim que mensagens fortes e evidenciáveis se manifestem através de nós.


Quando fundimos a nossa energia completamente com um espírito, estamos dando um importante passo para aprofundar a nossa comunicação e capacidade de canalização de informações do mundo invisível.


É claro que não queremos nos fundir com um espírito negativado, então com a mediunidade bem desenvolvida, somos capazes de sentir e perceber a intenção daquele espírito, e pela lei do livre arbítrio temos toda a capacidade de escolher se iremos deixar ele se manifestar em nós, ou não.


Para desenvolver esta capacidade, ou educá-la, caso ela já seja proeminente em você, siga este exercício de meditação que irei descrever logo abaixo.


Você pode fazer isso com alguém que deseja se comunicar com um ente querido falecido, ou mesmo sozinho caso sinta a presença de um guia, mentor ou algum espírito esclarecido e bondoso que deseja se manifestar:


  1. Dedique alguns momentos respirando através do 1º, 2º e 3º Chakra;

  2. Convide o espírito a te abraçar e te cercar com o seu amor;

  3. Sinta a energia dele te abraçando, sinta essa energia ao seu redor conforme você vai deixando as suas essências se fundirem;

  4. Tire alguns momentos para se ajustar ao processo de fusão das essências, deixando o espírito se assentar amorosamente e pacientemente.

  5. Agora você pode compartilhar mensagens, sinais ou mesmo deixar o espírito escrever, falar, ou se manifestar através de você.


No começo pode levar algum tempo para se acostumar com esta técnica, mas com a prática isto irá se tornar totalmente natural.


Lembre-se sempre de compartilhar e canalizar mensagens de um lugar amoroso e compassivo.


Espero que o artigo de hoje tenha te ajudado a aprender um pouco mais sobre o mundo invisível


Caso você queira se aprofundar ainda mais, no meu Canal do Youtube @Professor Gabriel Menezes, eu tenho uma Playlist chamada 'Mediunidade para Todos' com muitos vídeos sobre este assunto. Clique Aqui para Acessar!



580 visualizações

Comments


bottom of page